Mensagens aos Pastores

Principal / Mensagens aos Pastores

Não sei há quanto tempo você está no ministério. Talvez 10 anos, ou 20, quem sabe até um pouco mais. Quero, contudo, desafiá-lo a abrir o baú das recordações e voltar comigo vários anos atrás, até o momento em que você percebeu o chamado de Deus para a sua vida. Um dia Deus o chamou e lhe confiou uma tarefa especial. Lembre-se de como foi, das confirmações, do testemunho dos irmãos. Lembre-se da alegria de ser considerado digno da nobre causa de Cristo que enchia o seu coração. Recorde-se das pessoas que lhe apoiaram, dos líderes que investiram em você, dos irmãos que lhe sustentaram em oração, do momento em que você foi consagrado, quando impuseram as mãos e derramaram óleo sobre a sua cabeça. Recorde-se do seminário onde você estudou, dos seus professores, das pessoas que sempre estiveram ao seu lado, dos seus sonhos, das suas expectativas.

É verdade que o ministério pastoral tem suas recompensas. A sensação de ter sido usado por Deus na restauração de uma vida é indescritível. Hoje, porém, você já deve ter percebido a dureza desta nobre vocação. Dificuldades financeiras, decepções, frustrações, críticas ferrenhas, ataques do inimigo, e em alguns momentos até mesmo a sensação de que o trabalho tem sido em vão.

O apóstolo dos gentios, nosso irmão Paulo, também experimentou estas dificuldades. Como ele mesmo declarou, aprendeu a adaptar-se a toda e qualquer circunstância, ainda mais do que isto, aprendeu o segredo de viver contente em qualquer situação. No fim de sua vida ele declarou: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé”. Paulo não termina sua jornada frustrado, seu ministério foi profícuo, frutos foram gerados.

Quero enfatizar uma das razões do sucesso ministerial de Paulo: o mentoreamento. Costumava ouvir uma frase que dizia “ovelha gera ovelha, pastor gera pastor”. Paulo investiu na formação de líderes. Paulo gerou Timóteo, Tito e tantos outros. Moisés investiu em Josué, Jesus investiu nos doze. Sem dúvida este é um dos segredos de um ministério bem sucedido. Pastor, quem é o seu “Timóteo”? Onde está o seu “Tito”?

Ninguém tem maior possibilidade de acompanhar o desenvolvimento pessoal, espiritual e ministerial do seu “Timóteo” do que você. Ninguém vai amá-lo mais que você. Ninguém vai conhecê-lo, suas virtudes e defeitos, seus talentos e carências, mais do que você. Invista em novos pastores. Nós do SIMUB queremos ajudá-lo nesta importante tarefa. Nosso desejo nunca foi gerar teólogos, sempre pretendemos gerar servos de Deus, pastores, líderes. Queremos caminhar junto com você, amado pastor, nesta honrosa e fundamental empreitada. Contamos com você e enfatizamos que você também pode contar conosco. E que o Senhor nos abençoe.